fevereiro 25, 2007

Pois então, sabe aquele cachorro Hemp, que morava aqui, desde que o meu filho se casou e me deixou ele de herança? Voltou para a casa do dono. Aqui em casa, dormia embaixo da minha cama no inverno e no verão eu ligava o ventilador de teto para ela na sala.

Cachorro ingrato, agora dorme do lado de fora da casa grande para onde se mudou e nem chora e nem sente falta do calor humano.

E o miolo de pão que eu dava para ela pela manhã? Nem se lembra.

E o personal dog que eu contratei para passear com ele e para quem ele mesmo abria a porta para ir passear? Nem se lembra. Cachorro!!!!

E nós aqui, com a maior saudade dele. Volta e meia pego as coisas do chão, pensando que ele vai pegar, imaginando que ele ainda está por aqui. A cozinheira sente falta dos únicos latidos que ele dava no dia, quando achava que estava na hora de almoçar.

Mas, dono é dono e acho que o cachorro só lembra de quem cuidou dele na infância, no caso LF, meu filho, e eu, que cuidava dele , quando LF ia para o trabalho.

Bem, só sei que no próximo fds vou lá em Campos visitar o Hemp e ver se ele ainda se lembra de mim.

Acho que todos nós deveríamos ser assim. Fiéis a um só vínculo. É mais fácil e muito mais objetivo.

2 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Oi Joyce,
Cão é o melhor amigo do homem...com certeza quando vcs se reencontrarem...rapidamente ele irá lembrar...
Acho q vc está com saudade dele!!
Pelo menos ele não come mais os chinelos, nem derruba nada com seu rabo "espanador" de lontra...
Bjos
Marcia

8:32 PM  
Anonymous rosangela disse...

Lindo texto, Joyce... Tão doce... e eu queria saber da festa que ele fez quando te viu... :0)
"Acho que todos nós deveríamos ser assim. Fiéis a um só vínculo. É mais fácil e muito mais objetivo."
lindo e faz pensar muito.

6:43 AM  

Postar um comentário

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial